Porque é que ficamos tão contentes com coisas “perfeitamente normais”?

Porque é que ficamos – se não ficam, talvez devessem pensar porque é que não ficam – tão felizes com as pequenas – e muitas…